Comunhão entre Calvinistas e Arminianos, é possível?

O blogevangelico.com, trouxe em uma publicação essa questão: Comunhão entre Calvinistas e Arminianos é possível?
É muito comum vermos pessoas estudadas sedentas por expor suas ideias. Mas até que ponto isso é uma coisa boa?

Através de um texto bastante explicativo, o Blog Evangélico explicitou os principais pontos dos dois lados e fundamentou o seu posicionamento. Leia o texto completo abaixo ou no link original clicando aqui


Em nosso instagram (Teologia) lancei um questionário onde perguntava se era possível aos irmãos terem comunhão com um Calvinista, sendo eles Arminianos, ou, se era possível se ter comunhão com um irmão Arminiano, sendo eles Calvinistas. Para minha surpresa, a maioria votou que sim, que seria possível obter comunhão com um irmão que pensa diferente de deles.

Como sabemos há muito debate sobre este tema, onde muitos até perdem a paz um com o outro por causa de suas divergências teológicas (Ler: Tito 3.9, Hebreus 12.14). O que não é de se admirar, pois muitos líderes de ambas as partes acabam influenciando muitos de nós a pensarem assim. Pasme, ainda há pessoas que pensam que haverá classes diferentes no céu! Como nosso irmão LucasSouza16.3 disse: “Cristo é maior que qualquer doutrina teológica, o amor que nos une, não nos deve separar.” Independente do que nos baseamos para formar nosso pensamento teológico, ninguém está acima de ninguém, e ninguém está com a razão. Como assim? As duas doutrinas têm base bíblica, as duas professam coisas diferentes, mas as duas são fortemente bíblicas, pois há respaldo bíblico de sobra para as duas. Todo debate que não têm foco no aprendizado, e sim apenas e exclusivamente em convencer para ganhar mais um debate, se torna inútil, gerando debates intermináveis, cansativos, e que não glorificam a Deus, pois o foco do Evangelho de Jesus é convencer para a vida eterna, e não para gerar coisas assim entre os próprios irmãos. Se tivermos comunhão com nossos próprios irmãos, como podermos testemunhar o amor de Cristo na Evangelização, que é nossa maior missão?
Disse A.W Tozer sobre quem estaria com a “razão”:
“Tudo isso, na verdade, é muito perigoso. Seria como se alguém lhe pedisse que escolhesse entre a sua mão direita e a sua mão esquerda. Se você escolher a direita, terá de se livrar da esquerda. Que tipo de contrassenso seria esse? Minhas mãos trabalham muito bem juntas.” (Tozer, 96). Nesta frase o desejo de Tozer era extrair o melhor de ambos, Calvinistas e Arminianistas, para o Reino!
Ele também fala que: “o que as pessoas eram antes de João Calvino nascer?  Porque não podemos ser simplesmente cristãos?” (Tozer, 96, 97). Comunhão!

Vamos conhecer um pouco sobre tais divergências?

Depravação Total x Depravação Parcial

Calvino na Depravação Total, afirma que o homem é todo corrompido em pecado, fazendo-os incapazes de se aproximarem de Deus por sua própria vontade ou querer, sendo assim somente Deus pode permitir ser encontrado pelo pecador para salvação. Armínio defende na Depravação Parcial, que sim o ser humano é todo corrompido no pecado, mas isso não o torna incapaz de se aproximar de Deus, afirmando que Deus deu certa habilidade ao homem de se aproximar dEle por sua própria vontade.

Eleição Condicional x Eleição Incondicional

Calvino defende na Eleição incondicional que Deus é soberano, por isso em Sua vontade Ele decidiu quem seria salvo, e que nada vem da dignidade da pessoa para a salvação da mesma. Armínio defende na Eleição Condicional, que Deus elege pessoas para salvação a partir da Sua presciência àqueles que creriam em Cristo através da fé.

Expiação Limitada x Expiação Ilimitada

Calvino defende na Expiação Limitada que Cristo morreu apenas pelos eleitos. Armínio defende na Expiação Ilimitada que Cristo morreu por todos, mas só seria válida a morte de Cristo sobre a pessoa, quando ela cresce na morte, e claro houvesse o arrependimento genuíno. Esse é o ponto mais polêmicos.

Graça resistível x Graça irresistível

Calvino defende na Graça irresistível que quando Deus quer, chama, alguém para salvação tal pessoa será incapaz de resistir a tal chamado. Armínio defende que na Graça Resistível que Deus quer, chama, todos para a salvação porém alguns rejeitam, resistem ao chamado salvífico.



Perseverança dos Santos x Salvação Condicional


Calvino, defende na Perseverança dos Santos, que uma pessoa que é eleita para salvação irá consequentemente perseverar em fé, não se desviando, nem jamais negando a Cristo. Armínio defende que na Salvação Condicional um crente em Cristo, já salvo, pode vir a perder a salvação por causa do seu livre arbítrio. Alguns arminianos adotaram o conceito da Segurança Eterna, ao invés da Salvação condicional baseando-se em Romanos 8:38-39, onde fala que “nada poderá nos separar do amor de Cristo”.
O que aprendemos com tudo isso? Que no Corpo de Cristo há diferentes pessoas, com pensamentos diferentes, e não cabe a nós nos pormos como juízes para classificar quem está certo ou errado nesse sentido, pois a cabeça deste corpo é o próprio Senhor, Ele que é a Verdade e direciona cada um como quer para Ele mesmo, uns ele coloca como mão esquerda, outra como mão direita, mas ambas as mãos vão trabalhar em prol do Seu Reino. Que tenhamos mais amor uns pelos outros, e que possamos respeitar o pensamento do nosso irmão calvinista ou arminiano, sem impor, sem agredir (verbalmente), sem guerra.
Estudo feito pela blogueira Kátia Pereira, fundadora do Blog Evangélico, e do Teologia. Cristã protestante.

Política de privacidade

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site

My Instagram