Nós semeamos mas não colhemos



Por: Vinicius Maciel - 

Neste texto, venho trazer uma nova percepção sobre a parábola da Semeadura, contada por Jesus ao seus apóstolos. Em todas as reflexões sobre esta parábola, me coloquei como o solo. Explicando melhor, sempre me vi como receptor da semente e não semeador. Porém o Espírito Santo me mostrou um novo olhar sobre essa passagem. 
Antes de comenta-la vamos relembra-la na versão do livro de Mateus, no capitulo 13: 

Tendo Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar;


E ajuntou-se muita gente ao pé dele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia.

E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.
E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;
E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda;
Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.
E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.
E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.

Mateus 13:1-8

Tenha em mente que nós somos semeadores que levamos a palavra de Deus (semente) as pessoas. O nosso objetivo pessoal tem sido converter as pessoas ao evangelho de Cristo, quando na verdade o nosso dever é propaga-lo. Como assim? Eu vou te explicar melhor. 

Jesus disse "Ide e pregai o evangelho a toda a criatura" (Mc 16:15) e não convertam todas as criaturas.  O nosso desejo de ver as pessoas se convertendo a Jesus é tão grande que acabamos confundindo as funções. Nós apresentamos Jesus as pessoas afim de que elas decidam, se querem, ou não, caminhar com ele. 

Agora eu vou te mostrar como isso pode nos prejudicar. Se o nosso dever é apresentar Jesus as pessoas nós não podemos fazer mais nada além disso, pois não usamos as nossas forças, mas as forças de Deus, pois é o Espírito Santo que convence as pessoas de que Jesus é o único e verdadeiro caminho. (João 16:7 ao 11)

Tendo esse pensamento, dificilmente nós iremos nos frustrar, não que seja errado ficar triste por alguém fazer uma escolha errada, mas é importante entender que nem todo será fértil. Talvez precise de uma semente diferente, ou uma outra técnica de plantio. 

Ao evangelizarmos nós devemos ser gratos a Deus pela missão que nos foi dada, mas dar a ele toda a glória dos frutos colhidos. Pois não estamos fazendo um favor para o reino de Deus, ou em uma competição, mas estamos seguindo a ordem natural das coisas, pois fazer o IDE é obrigação de todos os cristãos.  

Referências utilizadas
  • Mateus 13:1-8
  • Marcos 16:15
  • João  16:7-11
Dúvidas e sugestões, escreva para viniciusmaciel@ligaevangelica.com

Política de privacidade

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site

My Instagram