11 agosto

Atitudes que geram frutos

Por , na sessão

Por: Aline Barcellos |

Rotineiramente somos impulsionados por Deus a tomar atitudes. Atitudes essas que trazem consequências, sejam elas boas ou ruins.

Existe um exemplo bem claro na física citado por um renomado cientista que diz: “Toda ação gera uma reação”, mas isso já havia sido esclarecido muito antes através da Bíblia, tendo como base aquilo que o Apóstolo Paulo, que sendo inspirado pelo Espírito Santo disse em uma de suas cartas escrita aos irmãos em Gálatas no Capitulo seis versículo sete: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.”

Todo plantio gera uma colheita, logo, toda ação gera uma reação. Se pensássemos partindo do princípio de que tudo o que fazemos trás uma consequência, seria claro pensar que faríamos tudo o que estivesse ao nosso alcance para que nossas colheitas fossem boas, porém não é isso que quase sempre acontece.

Na Bíblia diz em Romanos 7. 18-19:

“Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.”

Logo, é por isso que somos convidados por Deus a tomarmos decisões. É importante lembrar que Deus não dará o primeiro passo por nós, Ele nos apresenta a melhor escolha a ser tomada, mas de forma alguma nos obrigará a caminhar, Ele bem sabe os pensamentos que têm ao nosso respeito, pensamentos de paz, e não de mal, para nós o fim que esperamos. (Jeremias 29:11).



Embora Deus não dê o primeiro passo por nós, Ele nos provê a força necessária para que possamos dar, e logo depois que a tomada de atitude é feita Ele continua dando a Graça para continuarmos caminhando.
Seguir a Cristo é uma escolha diária, em Lucas 9.23 diz:

“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.”

Repare que está escrito: “(...) e tome cada dia a sua cruz e siga-me”, é uma escolha diária, não é porque ontem eu caminhei com Cristo que hoje eu já não tenha que caminhar novamente, não é porque ontem eu perdoei meu próximo que hoje eu já não tenha que perdoar. É por isso que todos os dias somos impulsionados por Deus a largar o nosso assento, que fica no comodismo, para que possamos caminhar lado a lado com Ele e sermos inconformados com o sistema deste mundo. É preciso que haja em nós uma metanóia, uma mudança essencial de pensamento ou de caráter e isso se dá quando temos a Mente de Cristo ( 1 Coríntios 2:15) que resulta numa verdadeira mudança de atitude.







07 agosto

Estrada da Vida. Qual a sua rota?

Por , na sessão

Por: Adriana Guimarães |

Hoje eu quero falar sobre a estrada, caminho o qual se percorre durante toda uma vida. Durante a nossa existência terrena, sempre estaremos numa estrada, não temos outra opção a não ser está em um caminho!  E essa escolha de; estar ou não estar, deixa de existir, apenas quando morremos, aí sim saímos da estrada e chegamos num destino. Até lá, teremos que trilhar, permanecer na estrada.
Em qualquer estrada haverá trechos de difícil acesso, como também locais fáceis de percorrer. Há também, no caminho, várias placas de sinalização e em alguns lugares não haverá. Prosseguiremos por intuição ou por saber a onde queremos chegar.

Na estrada também encontraremos andarilhos sem destino; encontraremos carros quebrados e também cadáveres. Mas que caminho é esse? É a estrada da vida. 

Quem está vivo certamente está nessa estrada. Mas qual seu destino? Céu ou inferno? Muitos ainda não sabem, outros não se importam, mas há aqueles que tem certeza a onde vão chegar.

Existem Três tipos de pessoas e dois destinos: A primeira pessoa é aquela que pouco se importa aonde chegará, ela quer apenas curtir a viagem e acaba se distraindo com o que vê no percurso e termina perdendo a rota. Também há aquelas pessoas que sabem que o seu destino não é nada bom, mas preferem arriscar. E por fim, tem aqueles que têm convicção e sabem o que querem, e vão fazer de tudo para chegar a Canaã. Esse caminho é o mais difícil de todos: estreito e apertado. Realmente só optam por essa estrada, pois tem a plena certeza que ao final dela estará na terra prometida, a terra dos sonhos, a casa do Pai... E, portanto, não se arriscam em aventuras, mas usam o GPS (Jesus) para não errarem o caminho.



A Bíblia fala que há dois caminhos: o largo que leva a morte eterna e o estreito que conduz à Salvação (Mt 7:13-14). E quem nos conduz por esse caminho se chama Cristo (Jo 14:6). O interessante e também irracional, é que mesmo sabendo a diferença entre esses dois caminhos, muitos optam em seguir para a morte eterna. Sabe por quê? Porquê é mais divertido, mais prazeroso, mesmo que momentaneamente. Enquanto o outro é árduo, e exige esforço!
Nessa estrada, chamada vida, encontramos muitos que desistiram e ficaram pelo caminho, mas muitos mesmo! Incontáveis, aos olhos humanos, mas conhecidos por Cristo.
Quem se aventura na estrada, sabe que no final há uma fronteira com uma alfândega e com regras bem específicas para se entrar nesse novo país.

Primeiro passo: Você precisa escolher o destino de sua viagem, a aonde você quer chegar. Céu ou inferno?

Segundo passo: Você precisa de um passaporte. Quem já viajou para outro pais sabe que você só pode entrar, caso você tenha esse documento. Esse passaporte é Cristo. 

Terceiro passo: Ao sair do seu país e ao entrar em outra nação sua bagagem é vistoriada, para ver se não há algo em suas malas que impeça a sua entrada. O que você tem transportado em sua mala? Em sua vida? Então selecione a sua bagagem.

Quarta regra: Você precisa do visto das autoridades competentes para entrar em outro país. Trata-se de um aval, uma concessão dada a você, para que possa atravessar as fronteiras. Caso você não esteja de acordo com as exigências para a entrada no país, você ouvirá:

"Em verdade vos digo que vos não conheço" (Mt 25:12). "E o seu senhor lhe disse: Bem está servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor" (Mt 25:21). 
"Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mt. 25.41).
Quando embarcamos nessa viagem precisamos ter em mente que precisaremos  seguir esses quatro passos. Caso contrário você sairá da onde está, mas não chegará ao único país que nos espera, mas irá para o submundo, local de choro e ranger de dentes, sofrimento eterno!

"Lá haverá grande lamento e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaque e Jacó, bem como todos os profetas no Reino de Deus, mas vós, porém, absolutamente excluídos"
(Lc 13:28).
“E ali haverá uma estrada, um caminho, que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão” (Is 35:8).
Tudo pronto para a viagem? Cheque os requisitos acima, avalie prioridades, selecione os itens os quais você levará em bagagem. Passaporte pronto? Então é só decolar!
Senhores passageiros afivelem os cintos e boa viagem!



06 agosto

Essa coisa de amor

Por , na sessão
Por: Lays Rosado |
Uma palavra que tem uma essência tão grandiosa e que já foi crítica dos maiores pensadores, está em pauta há séculos e não deixa de ser tão atual e discutida. Amor; como lhe explicar, como sentir, como transmitir... O amor pode ser o centro de tudo e ao mesmo tempo não ter significado nenhum para algumas pessoas. Então como eu que sei tão pouco sobre tal, me atrevo a falar do amor.

Recomendamos para você: 
O amor é rodeado de perguntas que na maioria das vezes não encontramos resposta. Sinceramente acho que esse eterno questionamento é a maior beleza do amor.
Então meu amado como chuva em alto mar, quero falar do amor mais bonito que conheci, o amor que rodeia e norteia todos os outros, o amor genuíno, o amor divino, o amor que transforma. Estou falando da trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, como diz em João 3:16 ‘
’ Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna’’. (João 3:16)
A maior e a melhor prova de amor foi dada por Jesus na cruz do calvário, Ele morreu puro e exclusivamente por você. A mensagem da cruz é o amor que engloba todos os outros; o de pai para com o filho, do homem para com a mulher, o amor de amigo, o amor de irmão, o amor pela família e até mesmo o amor por um desconhecido.
Quando você começa a foliar as escrituras, seus olhos se abrem para compreender o amor. Claro que não na sua magnitude porque, a meu ver, é impossível, mas a forma que Cristo trilhou seu caminho aqui na terra nos deu a mais bela noção de como amar.
Só é possível sentir o verdadeiro amor, seja ele para quem for, quando esse amor é baseado no amor de Cristo, porque assim você estará disposto a suportar todas as decepções que possam surgir. Como dizem: “(...) o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
O amor por Jesus e sua palavra é a carga mais valiosa que alguém possa carregar, porém muitos não estão dispostos a levar. É muita responsabilidade viver o amor em um mundo egoísta e p:erverso como o nosso, afinal nossos interesses pessoais, o nosso ego, a nossa autossuficiência muitas vezes é mais importante.
Para que amar se é doloroso, se me leva a renunciar o meu eu, não pensar em mim mas em nós?
O amor por Cristo muda a nossa visão do amor na terra. É um amor que cresce e se transforma constantemente até o fim de nossas vidas.
 Apesar de tudo que imagino do amor, eu escolho sentir, não sei viver sem pensar sobre o amor de Jesus por mim e você, querido leitor, espero que se ainda não sentiu, que se permita sentir o amor de Deus por você e saiba que sua vida nunca mais será a mesma.


01 agosto

Use as forças de Deus

Por , na sessão

Por: Vinicius Maciel|

Com os recursos que temos a nossa disposição, ficou muito mais fácil encontrar arquivos e artigos que nos levam a conhecer diversos temas, inclusive relacionado a Bíblia. Mas em meio a isso tudo, mesmo que consigamos nos encher de conteúdo, devemos buscar a plenitude de Deus, não apenas confiar em nossa capacidade humana, pois sem Deus nem existiríamos.

Agora vamos analisar o texto destacado no livro do Profeta Isaías, no capitulo 7. 


Disse ainda o Senhor a Acaz: Peça ao Senhor, ao seu Deus, um sinal miraculoso, seja das maiores profundezas, seja das alturas mais elevadas". Mas Acaz disse: "Não pedirei; não porei o Senhor à prova" Disse então Isaías: "Ouçam agora, descendentes de Davi! Não basta abusarem da paciência dos homens? Também vão abusar da paciência do meu Deus? Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel. Ele comerá coalhada e mel até a idade em que saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo. Mas antes que o menino saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo, a terra dos dois reis que você teme ficará deserta. Isaías 7:10-16

Nesta passagem Isaias cumpre uma ordem de Deus cujo o objetivo era alertar ao rei Acaz, Rei de judá, sobre um ataque.  E como Deus ordenou assim o fez. 

 Porém no versículo 12, Acaz se mostrou teimoso e quis ignorar o que Deus tinha falado para ele através do Profeta Isaías, achando-se auto-suficiente. Em resposta a sua teimosia, Isaías utilizou o seu filho para fazer uma analogia ao nascimento de cristo, para que Acaz não viesse a compreender os sinais que ali estava sinalizando. Isaías foi instruído pelo Senhor para levar o seu filho pequeno com ele, afim de expressar bondade e pureza, por ser uma criança. 

“Ele comerá coalhada e mel até a idade em que saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo.” Isaias 7:15.

Este trecho trás um ótima reflexão sobre plenitude, vamos entender melhor: 

Coalhada e mel eram alimentos disponíveis para pessoas pobres da época, mas claramente, o versículo se refere a alimento espiritual.

Jesus apesar de ser filho de Deus, precisou buscar a sua plenitude. Reconheceu o que era ruim, e o que era bom, para assim então rejeitar o mal e escolher o bem, pois aquela geração não buscava edificação.

Na sua juventude, Jesus buscou alimentar o seu espírito, aprender com os mais velhos e compreender humanamente o seu destino, não somente com os conhecimentos dos homens, mas certamente, também dos céus, pois assim ele soube também que era filho de Deus e não de José. 

Para fundamentarmos isso, leremos o Lucas 2:46-47

"46/47 Três dias depois, conseguiram descobri-­lo. Achava-­se no templo, sentado entre os mestres da lei, ouvindo-­os e fazendo­-lhes perguntas, deixando toda a gente admirada com a sua inteligência e respostas. 48 Os pais não sabiam que pensar quando o viram sentado ali."

Enquanto você come coalhada e mel, você aprende que para ter mais de Deus, é preciso ser menos de você. A nutrição do espírito não se resume a conhecimento, mas a continuidade incessante da busca a Deus, através de Jesus, o único caminho. 

Deus tem um alimento ainda maior para o seu espírito, mas para isso você tem que escolher o bem, você tem que buscar o bem. Caso contrário viverá a base de coalhada e mel para o resto da sua vida. Jesus andou com os mestres e doutores enquanto estava no templo, hoje Jesus é o mestre, o doutor e você é o templo. 

Contudo Jesus também era templo, mas estava reunido com os seus irmãos de fé, e assim também devemos fazer, para nutrir o nosso espírito em comunhão com os nossos irmãos da fé, ajudando uns aos outros e amando-nos uns aos outros, e não apenas "estocando conhecimento". 

Fazendo isso, reconhecendo Deus como o Senhor de nossas vidas, não confiaremos mais nas nossas forças, como o Rei Acaz fez, mas olharemos para Deus como nosso provedor primordial para as nossas conquistas. 



Referência : isaiasportugues.wordpress.com
28 julho

Aviva-nos| Podemos confiar em Deus

Por , na sessão

Por: Thais Crotti | 

Passamos por coisas pequenas e confiamos tanto em Deus e em tudo o que Ele pode fazer, em todo o cuidado dEle. Nós confiamos plenamente na segurança que Ele nos trás, que Ele é sim o nosso refugio e fortaleza e em todas essas palavras que falamos, mas não estão no nosso coração. 


Deus nos dá diversas provas de que Ele não está alheio ao que a gente vive, que Ele tem cuidado de tudo. Mas, por mais que Ele prove a nossa vida inteira, nós ainda vamos permitir que o nosso coração passe por perturbações desnecessárias. Não foi Ele próprio que disse: “Não turbe o vosso coração?"


Se podemos confiar nas coisas pequenas que Deus faz, por que não podemos confiar nas coisas grandiosas? 

Podemos confiar no que Ele vai fazer no futuro, mas se passamos por algo no agora a gente se desespera. Somos como Pedro, que ao caminhar sobre as águas não confiou em Jesus, nós afundamos porque o nosso coração não confia em Deus e é totalmente cego para quem nos cerca. É mais fácil enxergar a situação que o próprio Deus na nossa frente.

Siga e acompanhe as publicações do blog "aviva-nos" clicando aqui

My Instagram